Serviços de Telecom

O que é M2M?

Por Ulysses Dutra | 26.01.22
Diversos gráficos e dados sendo enviados para um sistema de armazenamento em nuvem, ilustrando o que é M2M

Saiba o que é M2M, suas vantagens e como essa tecnologia pode otimizar e automatizar uma série de processos no seu negócio, impulsionando a produtividade

O surgimento da internet modificou completamente a forma como nos comunicamos, divertimos, trabalhamos e compramos, além de acelerar a transformação digital na sociedade e nas empresas. Atualmente, com o mundo muito mais conectado, esse processo avança com novas tecnologias como M2M e a Internet das Coisas (IoT).

Nesse post, vamos entender melhor o que é M2M, as diferenças e a complementaridade com a Internet das Coisas, suas vantagens para as empresas e alguns dos serviços disponíveis através das principais operadoras de telecom.

Leia mais: Como funciona a internet?

O que é M2M

O termo M2M significa Machine-to-Machine, em português Máquina para Máquina. Ou seja, é uma tecnologia voltada para a transmissão e recepção de dados de um ponto a outro, que permite a comunicação entre sistemas e equipamentos remotos.

Esse conceito é uma evolução da telemetria, um método anterior para conectar dois dispositivos com o objetivo de aferir dados de forma remota. A telemetria foi bastante difundida na Fórmula 1, onde sensores captam dados dos veículos e transmitem por meio de ondas de rádio para um computador, que processa todas as informações para ajudar a otimizar o desempenho.

Com a evolução da internet, dos sensores sem fio e dispositivos como computadores, notebooks, tablets e smartphones, essa forma de comunicação em tempo real entre máquinas cresceu exponencialmente nos últimos anos.

Assim, surgiu o conceito de M2M, semelhante à telemetria porém mais sofisticado e capaz de criar conexões amplas entre dois pontos, tornando-os mais inteligentes e eficazes.

Resumindo, o M2M se refere à tecnologia de comunicação automática entre dispositivos. Ela pode ser utilizada, inclusive, em tecnologias mais avançadas, como a Internet das Coisas (IoT). Sendo assim, oferece novas oportunidades de negócio e inovação para diversos setores da economia, para as operadoras, bem como para a gestão de telecom e TI inteligente.

Como funciona o M2M e quais suas vantagens

Basicamente, o M2M funciona com um sensor remoto e autônomo, responsável por monitorar, captar e analisar dados das máquinas relativos a um processo produtivo, uma etapa de gestão ou ao gerenciamento de estoque, por exemplo.

Todas as informações são transmitidas para um servidor, onde os dados são processados e utilizados por aplicativos do sistema M2M, configurados para interpretar essas informações e acionar ações automáticas e pré-programadas.

O M2M trabalha com um tráfego de dados muito baixo e, em função disso, essa é uma tecnologia com custo relativamente baixo. Dependendo da aplicação, planos com franquia de 2MB a 5MB serão suficientes.

O Machine to Machine otimiza o tempo, trabalho e controle de uma operação ao automatizar uma série de processos produtivos, liberando as equipes para as tarefas mais complexas e estratégicas.

Dessa forma, as empresas ficam mais ágeis e ganham uma poderosa ferramenta de controle, sem necessidade de interferência humana.

Além de permitir o monitoramento remoto de máquinas e sistemas, em tempo real, o M2M oferece ainda outras vantagens para os negócios, para o desenvolvimento das fábricas inteligentes da Indústria 4.0 e de produtos e serviços das operadoras:

  • Redução de custos com a otimização da manutenção de máquinas e do tempo de inatividade dos dispositivos:
  • Aumento na receita das empresas com a descoberta de novas oportunidades de negócio e a oferta de novos produtos e serviços;
  • Melhoria na experiência do usuário e no relacionamento com os clientes, com mais agilidade na resolução de eventuais problemas, inclusive prevendo alguns antes mesmo que aconteçam.

Como você pode perceber, o M2M oferece uma série de vantagens importantes para as empresas ao coletar dados relevantes em todos os pontos de negócio, do desenvolvimento de produtos e serviços, passando pela fabricação de bens de consumo, a gestão de matéria-prima e suprimentos, até o ponto de venda.

Vamos ver, a seguir, alguns exemplos de aplicações práticas do M2M.

Leia mais: Cloud computing: o futuro da TI

A diferença entre M2M e Internet das Coisas

Embora os conceitos sejam parecidos, o M2M e a IoT não são a mesma coisa. Nos sistemas IoT, pode-se utilizar M2M ou não – tudo dependerá da aplicação.

Ambos são relacionados à comunicação entre máquinas conectadas, mas os sistemas de M2M em geral são compostos por dispositivos de rede isolados e autônomos.

Já os sistemas IoT elevam a conexão para outro nível. Afinal, as máquinas de IoT compartilham seus dados, interagindo com outros dispositivos e sistemas para criar uma rede mais ampla e inteligente.

As tecnologias de M2M utilizam a comunicação ponto a ponto entre máquinas, sensores e hardware em redes móveis ou com fio, enquanto os sistemas IoT dependem de redes baseadas em protocolos de IP, um conjunto de normas que permitem que máquinas conectadas à internet “conversem” entre si.

Os dados gerados pelos dispositivos de M2M são usados por aplicativos de gerenciamento de serviços. Por sua vez, em geral os dados de IoT são integrados a sistemas corporativos voltados para melhorar o desempenho dos negócios, em diferentes setores dentro das empresas.

Podemos dizer então que as tecnologias de M2M impactam os processos e a maneira como as empresas atuam, enquanto a Internet das Coisas afeta também a tomada de decisão das empresas e a experiência dos usuários finais, adicionando mais uma camada de inteligência.

Por exemplo:

Imagine uma máquina de venda automática conectada via M2M ao computador do distribuidor, que avisa quando é preciso fazer a reposição de produtos.

Com a integração da IoT, é possível sofisticar a análise de dados e a máquina torna-se capaz de prever a necessidade de reabastecimento de determinados produtos, de acordo com o comportamento de compra, permitindo assim uma experiência mais personalizada.

Leia mais: Os impactos da tecnologia 5G no setor de telecom e TI

Exemplos de aplicações do M2M nas empresas

No Brasil, algumas das principais operadoras como Claro, TIM, Vivo e Oi, já oferecem serviços de M2M para o mercado, com soluções inovadoras para alavancar os negócios que podem ser ativadas em diversos segmentos e atividades.

Vamos conferir algumas das aplicações do Machine to Machine para as empresas.

1) Rastreamento inteligente de ativos

Os sensores M2M integrados e recursos de GPS transmitem informações para um servidor, e permitem o monitoramento fácil e preciso de ativos.

Isso pode ser feito, por exemplo, com uma frota de veículos conectados que transmitem dados sobre localização, conteúdo e suas condições de conservação.

2) Manutenção preditiva

Sensores de M2M incorporados em equipamentos são capazes de detectar falhas e tomar decisões automáticas, como solicitar a reposição de peças e agendar a manutenção de máquinas antes que ocorra alguma falha que gere prejuízos com o tempo de inatividade.

3) Emissão de faturas

Empresas do setor de petróleo e gás, por exemplo, podem se basear em sistemas M2M para monitorar informações de consumo, otimizando a emissão de faturas para os clientes.

4) Telemedicina

Dispositivos conectados via M2M promovem a comunicação entre máquinas hospitalares e aparelhos médicos. Dessa forma, os médicos têm acesso remoto e imediato às estatísticas vitais dos pacientes.

Além disso, as soluções automatizadas podem identificar a possibilidade de ajustar doses ou até mesmo dispensar remédios, caso seja necessário, ou ainda alertar sobre possíveis crises.

5) Monitoramento remoto

A comunicação máquina a máquina é frequentemente usada para monitoramento remoto em diversos setores e atividades do varejo, como máquinas de venda que podem avisar quando precisam ser reabastecidas. Ou então, os freezers podem ter a temperatura monitorada para garantir a qualidade dos produtos refrigerados.

No agronegócio, os sistemas M2M tornam possível a agricultura de precisão, com o monitoramento e gestão de equipamentos a partir de qualquer lugar do mundo com acesso a uma rede de internet.

A conectividade permite também agregar recursos valiosos para a agricultura, como previsões meteorológicas mais precisas, controle sobre o trabalho de campo e recursos hídricos, bem como facilita a automatização de processos nas fazendas.

6) Desenvolvimento de produtos

A tecnologia Machine to Machine traz a possibilidade de desenvolver produtos melhores com o monitoramento e análise de dados para além do ponto de venda.

Sensores M2M integrados aos produtos podem fornecer dados sobre estado de conservação e informações sobre o uso e depreciação, gerando insights para a melhoria.

Leia mais: 12 tendências de telecom e TI para 2022

Como implementar um sistema de M2M na sua empresa

Uma pesquisa estima que as conexões M2M devem crescer de 33% em 2018 para 50% até 2023, quando representarão metade dos dispositivos e conexões globais, com 14,7 bilhões de interligações.

Isso significa que a hora de se preparar para enfrentar a concorrência, sair na frente e investir no Machine to Machine é agora.

Porém, antes de mais nada, é preciso levar em conta as necessidades de negócio, e identificar as melhores formas de utilizar a tecnologia M2M na sua empresa.

Conclusão

O Machine to Machine abre um leque imenso de novas oportunidades e opções e por isso é fundamental contar com ajuda especializada, assim como uma infraestrutura de conectividade robusta que permita uma transmissão de dados eficiente.

Avatar Ulysses Dutra

Por

Ulysses Dutra


Redator, jornalista e músico, aficionado por tecnologia & inovação, geopolítica e rock’n’roll/blues/funk/reggae/samba/soul

wid.studio